terça-feira, 1 de setembro de 2009

Papel de parede - ele voltou!

História do Papel de Parede
"Os homens primitivos, nossos ancestrais, utilizavam da pintura para decorar as paredes de suas cavernas. Os desenhos e símbolos, que até hoje servem para o estudo da evolução humana, além de registrar sua história, também tinham um caráter decorativo que, assim como o registro de sua presença na terra, até hoje nos acompanha. A pintura das cavernas ou a decoração de uma sala de visitas, demonstra nossa necessidade de expressar nossa individualidade, e em última análise, uma maneira de demarcarmos nosso território.
O primeiro registro histórico sobre a utilização do Papel de Parede, como elemento decorativo, ocorreu na China. Os primeiros papéis foram produzidos rudimentarmente com palha de arroz, evoluindo posteriormente para o pergaminho vegetal. Inicialmente as pinturas eram feitas à mão por artesões, depois evoluiram para grandes carimbos de madeira decorativos que depois de entalhados por artistas eram embebidos em tinta para imprimir em sequência os desenhos. As tiras resultantes do processo eram então coladas nas paredes substituindo as tradicionais que ornavam os ricos palacetes dos mandarins, comerciantes e altos funcionários.
Nos séculos XVI e XVII, a Europa passa ter mais contato com a China e o Papel de Parede passa a ser utilizado pelos europeus para, inicialmente, decorar parte das paredes em substituição as telas e tapeçarias. É nesta época que ele passa a ser utilizado como border decorativo, contornando portas e janelas. Após sua introdução na Europa sabe-se que em 1630 aparece a primeira fábrica de Papel, o Papel-Toutisses (Papel Flocado) na cidade de Roven - França. Em 1634 a Inglaterra inicia a produção em Cambridge.
Os primeiros papéis já impressos aparecem na França em 1638. Os impressos e com relevos moldados em chapas de cobre são produzidos em 1700 na Alemanha. Em 1750 são impressos na inglaterra os primeiros papéis multicoloridos. Em 1770, instala-se em Paris uma fábrica de papéis pintados e flocados, com o sucesso alcançado pelo novo produto já em 1783 a indústria Manufatura Real empregava 400 artesãos. Em 1870 Juan Zuber instala na cidade de Rixheim uma fábrica de Papéis de Parede que funcionou ativamente até 1939. Nesta unidade foram aperfeiçoadas as técnicas de impressão com corantes, mas o grande marco foi o lançamento do primeiro rolo com mais de 4 metros lineares de papel pronto para uso.
No Brasil a introdução do Papel de Parede aparece com a forte imigração européia no final do século passado. Até 1930 ocorreu um pequeno consumo deste produto através das importações. Em função dos altos custos para trazer o produto para o Brasil, o Papel como Revestimento de Paredes foi esquecido. Por volta de 1960, com a modernização dos processos de produção, redução dos custos e consequentemente a popularização do revestimento como alternativa para decorar as paredes, amplia-se consideravelmente o consumo do produto na Europa, Estados Unidos, parte da América Latina e Brasil."
Sucesso nas decorações dos anos 70 e 80, o papel de parede está de volta com força total. Novas tecnologias aliadas a estampas e cores modernas reforçam as vantagens desse que é um dos meus produtos preferidos para revestimento.



Além da enooorme variedade de modelos e acabamentos, o papel de parede é uma alternativa de custo razoável, aplicação rápida e facilmente removível em caso de troca (dizem que só não se deve aplicar papel sobre papel, porque aí sim rasga na hora de tirar).

Hoje é permitido o uso do papel de parede inclusive em áreas molhadas; no entanto, é preciso escolher um modelo vinílico, mais resistente à umidade. Lógico que quanto menor o contato com a água, melhor né! Por isso, nada de aplicar dentro do box! (engraçadinha hahaha!)


Com estampas ou cores muito marcantes, melhor não aplicá-lo no ambiente todo, e sim em uma ou duas paredes, ou em detalhes, como cabeceiras de cama, para evitar a sobrecarga de informações. Também vale a regra para ambientes pequenos: quando mais estampa ou mais escura a cor, menor parecerá o ambiente. Isso não necessariamente se aplica em lavabos, que são locais onde as pessoas normalmente não permanecem por muito tempo. Então, a liberdade para ousar é maior. Assim como listras verticais alongam o pé-direito e listras horizontais ampliam a largura do ambiente. Existem também aquelas estampas geradas pela diferença de textura, tipo fosco/brilhoso, que são ótimas para dar movimento ao ambiente sem poluir.

Outra alternativa interessante para o revestimento de paredes é o tecido. Mas nunca, JAMAIS aplique tecido na parede sozinho! Contrate alguém especializado, porque o risco de desastre é bem grande. Aliás, vamos falar disso em outro tópico, pra não deixar ninguém cair em tentação (risos)! Falando nisso, no caso do papel de parede, não é assim tãão necessário contratar alguém para aplicar. Eu recomendo, a não ser que você tenha tempo e paciência de sobra. Além disso, se optar por um papel estampado, o mais complicado é emendar os desenhos, o que precisa ser levado em conta também no momento da compra (comprar uns metrinhos a mais, contando com os cortes). As emendas são inevitáveis, pois os rolos de papel de parede possuem metragem padrão de 10 metros por 53 centímetros, ou seja, a cada meio metro será preciso fazer uma emenda. O vendedor é a pessoa indicada para tirar as medidas e calcular a quantidade de material que será necessária para forrar um ambiente.

Seguem links das minhas fontes e de fornecedores de papel de parede mais conhecidos. Divirta-se!

http://www.casadopapeldeparede.com.br/

http://www.mirandagreen.com.br/

http://www.bucalo.com.br/

http://www.orlean.com.br/

http://www.sdsugestoes.com.br/

http://www.liderpapeldeparede.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário